Início do conteúdo

10 de Agosto de 2017

Mercur compartilha projeto em evento sobre Diversidade

01.jpg

A coordenadora do projeto Diversidade na Rua, da Mercur, Silda Santos, participou nesta quarta-feira (09), em Porto Alegre, da edição do 11º FALE à vontade, promovido pela FALE, empresa de consultoria especializada em Endomarketing e Comunicação Interna, que teve como tema “Fale sobre a Diversidade do Seu Mundo”.

Na oportunidade, Silda falou aos participantes sobre as muitas transformações pelas quais a Mercur passou ao longo de seus 93 anos. Entre elas a de substituir um olhar anterior baseado na maximização da rentabilidade do capital investido pelo olhar atual de servir às causas das pessoas. “O que vou contar aqui hoje é fruto do trabalho de muitas pessoas”, disse. Então iniciou contando como, através deste propósito de olhar o mundo para unir pessoas e organizações para construir encaminhamentos e criar soluções sustentáveis, surgiu o projeto Diversidade na Rua.

O começo foi em 2009, quando a Mercur questionou a si mesma: como uma indústria poderia contribuir na Educação ou atrapalhar menos? A resposta foi buscada através da própria educação. Durante um ano foram promovidas na empresa oficinas com o Instituto Paulo Freire sobre a pedagogia do oprimido. Dentre todos os aprendizados e questões que surgiram em rodas de conversa com os educadores, decidiu-se que o ponto de partida seria eliminar os personagens dos produtos da empresa porque eles não colaboravam em nada com a educação e ainda segregavam as crianças. Destas mesmas conversar surgiu o apontamento de que as indústrias não pensavam nas pessoas com deficiência ou que os produtos feitos para elas eram sem graça e vendidos por valores inacessíveis para a maioria das pessoas.

“Então o Diversidade na Rua surgiu para estar com as pessoas e entender as necessidades que elas têm em suas vidas. Primeiro nos aproximamos das escolas tentando entender a educação inclusiva, as salas de recurso e classes especiais que ainda existem. Destes contatos vimos que as professoras não mediam esforços na criação de “gambiarras” para ajudar crianças com os mais variados tipos de deficiência e daí surgiram os primeiros produtos”, conta.

Identificar as necessidades e fazer com as pessoas

Hoje o Diversidade (http://www.diversidadenarua.cc/) funciona como uma rede que reúne pessoas ligadas às questões de acessibilidade e inclusão de pessoas com deficiência de todo o País. Qualquer pessoa que tenha interesse no tema pode acessar a rede, criar o seu perfil, colaborar na criação de novos produtos ou compartilhando histórias.

Os produtos desenvolvidos até então, muitos deles cocriados nas oficinas com as pessoas da rede, como o giz de cera mais grosso e o tijolinho, fixadores de mão e multiuso, pulseira de peso, embalagens mais ergonômicas para a tinta e cola e com língua de sinais, são comercializados pela loja online da Mercur (https://loja.mercur.com.br/)  com o objetivo de tornar o preço acessível para o maior número de pessoas possível.

No mesmo evento houve a contribuição da psicóloga Patricia Fleck, da Aditar Diversidade e Desenvolvimento Humano, que falou sobre a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho.

 

Informações para a Imprensa:

Engaje Comunicação Inteligente

Fernanda Dreier e Rosângela Florczak

(51) 9 9550.8614 e 3378.1136

mercur@engajecomunicacao.com

 

Galeria da notícia