Início do conteúdo

07 de Novembro de 2017

A mudança é amiga da aprendizagem

Céu azul. Uma placa verde escrito

Será que nos damos conta de quantas mudanças experimentamos a cada momento nesta nossa trajetória no tempo e no espaço?

Quem de nós já não experimentou uma mudança? Seja ela de clima (do muito frio ao calor forte em um mesmo dia, ou na transição das maravilhosas estações do ano!), da alegria à tristeza, da juventude à velhice, do rápido ao lento, da luz à escuridão, do natural ao artificial, do falso ao verdadeiro, do ruído ao silêncio, do amor ao ódio, da segurança à liberdade, da vida a diferentes instâncias de vida...!

Mudanças são estados de vida que nos colocam em alerta. Que nos acordam! Que mexem com a nossa sensibilidade e nos tornam pessoas mais esclarecidas e conscientes com tudo e com todos.

Se não nos permitirmos a despertar este senso de observação sensível e constante às mudanças, que busca entender como e por que realizamos e nos relacionamos no nosso dia a dia, dificilmente estaremos nos desenvolvendo e de bem conosco. Negar a si mesmo é negar a mudança constante.

Evoluir como pessoa é dar espaço para que a mudança possa ser experimentada e vivenciada em seus mínimos detalhes. Acolher a mudança é saborear a diversidade da vida e deixar que suas aprendizagens possam também ser assumidas, sem receios e medos. Elas virão por meio de atitudes curiosas e respeitosas por tudo aquilo que é naturalmente repleto de abundância e possibilidades.

A vida é uma constante aprendizagem e a mudança é sua amiga predileta.
Caminham lado a lado. Desta forma, nos tornamos pessoas mais resilientes, esclarecidas, agradecidas e solidárias, pois se fortalece o sentido e o significado do bem viver.

Um abraço a todos,
Breno R. Strüssmann.

Galeria da notícia