Início do conteúdo

29 de Agosto de 2018

Quando usar uma joelheira ou tornozeleira?

segunda_sessao_088.jpg

Uso das órteses deve seguir a orientação de profissionais da saúde, tanto para prevenção quanto para o tratamento de lesões

Quem pratica exercícios físicos, seja ciclismo, corrida, futebol ou até mesmo musculação, sabe que deve tomar cuidado para evitar lesões que podem ocorrer durante os treinos. E ainda assim, mesmo com todo o cuidado, contusões podem ser frequentes. Se isso acontecer, o primeiro passo, antes da automedicação ou da adoção de órteses, é procurar um profissional de saúde para avaliar a situação.

A recomendação é do fisioterapeuta Regis Severo, que atua na área de Pesquisa e Desenvolvimento da Mercur. Segundo ele, o uso de tornozeleiras e joelheiras é recomendado em situações em que seja percebida a instabilidade articular, que pode ser fator de risco para lesões como entorse, por exemplo. O profissional lembra que o uso, tanto de um quanto de outro, deve ser complementar a outras formas de tratamento, com fortalecimento muscular, controle motor e exercícios de propriocepção, que estimulam o equilíbrio corporal.

A joelheira e a tornozeleira são chamadas de órteses, pois são dispositivos que aplicados ao corpo melhoram a função corporal, como promover determinados movimentos perdidos ou na restrição de movimentos excessivos que podem estar alterando a função normal. Conforme o fisioterapeuta, elas podem ser utilizadas de forma temporária ou não, para auxiliar na função de alguma estrutura corporal como músculo, tendão, ligamento, entre outros, que tenha sofrido alguma lesão ou alteração. As órteses tem o papel de reforçar a estabilização no período de reabilitação em movimentos e atividades diárias, mas além disso, ambas têm a função preventiva de evitar a recorrência destas lesões quando se volta a rotina exercícios físicos.

Recomendações de uso

É importante lembrar que para utilizar as órteses deve-se seguir a orientação de um fisioterapeuta sobre o tempo de uso, quais atividades e quais formas complementares de tratamento serão realizadas. Evitar o uso contínuo e permanente para que não haja nenhuma adaptação neuromuscular é o que recomenda Régis. "Com o processo de reabilitação busca-se que o próprio corpo e as estruturas articulares - sejam elas músculos, ligamentos ou tendões - deem conta de promover a estabilidade necessária para a articulação", orienta.

Outro cuidado importante que o fisioterapeuta comenta é sobre evitar a compressão demasiada na articulação, para não prejudicar a circulação sanguínea ou causar lesões na pele. "Não se deve usar a joelheira ou a tornozeleira em cima de feridas abertas", pontua.

Para cada problema, uma solução

Existem diversos tipos de tornozeleiras e você deve utilizar aquela que o profissional da saúde recomendar para o seu caso. A tornozeleira com reforço, por exemplo, auxilia na prevenção e na recuperação de lesões na região do tornozelo. Ela é indicada para uso ortopédico e para a prática esportiva, principalmente esportes de areia.

As joelheiras, que também apresentam várias versões, igualmente devem ser recomendadas por um fisioterapeuta ou ortopedista. A joelheira com orifício, por exemplo, é indicada para uso ortopédico ou para a prática de esportes. Ela auxilia na prevenção e na recuperação de lesões nesta região e o orifício frontal permite a redução da pressão na região da patela.

Informações para a Imprensa:
Engaje Comunicação Inteligente
Fernanda Dreier, Gabriela Fritsch
(51) 3378.1136
mercur@engajecomunicacao.com



 

Galeria da notícia