Início do conteúdo

26 de Novembro de 2018

Mercur promove roda de conversa sobre o Programa Escolas Transformadoras

Episódio da série “Corações e Mentes” será exibido no encontro

Capa-Série-nx1d25lvy03s6k472xshgpfo253kfibc8r76jm82ue.png

Competências transformadoras são aquelas fundamentais para que crianças e jovens criem senso de responsabilidade pelo mundo e contribuam para torná-lo um lugar melhor. Isso é o que promove o Programa Escolas Transformadoras, uma iniciativa da Ashoka, organização global que reúne empreendedores sociais de diversas partes do mundo, coordenada no Brasil pelo Instituto Alana.

No dia 04 de dezembro Santa Cruz do Sul recebe, no Laboratório de Inovação Social da Mercur, a educadora e coordenadora do Programa, Raquel Franzim, para uma roda de conversa sobre Escolas Transformadoras promovida em parceria com a empresa. Durante o dia haverá exibição de um episódio da série ‘Corações e mentes, escolas que transformam’ - que estreou em outubro, mostrando escolas que protagonizam grandes transformações na educação do Brasil - em dois turnos.

Nos períodos da manhã as atividades acontecem internamente, para o público de colaboradores da Mercur. À noite, a partir das 18h30min, a exibição, palestra e roda de conversa será aberta à comunidade. São 60 vagas disponíveis e as inscrições podem ser feitas pelo site do Laboratório de Inovação Social até o dia 29 de dezembro.

Após a exibição do vídeo, a educadora vai propor aos participantes um diálogo sobre o valor do trabalho em grupo e o que levam para suas vidas estudantes, educadores e famílias que exercitam a capacidade de trabalhar em parceria, tema do episódio. A ideia é debater como cada um pode ser capaz de liderar de forma colaborativa, praticando o exercício da cidadania.

“A nossa vinda à Santa Cruz acontece em parceria com a Mercur porque assim como nós ela busca provocar mudanças sistêmicas, mudanças que não acontecem só nas escolas ou só nas empresas, elas acontecem na comunhão de todos, de escola com iniciativa pública, privada, com meios de comunicação. É preciso somar muitos esforços para transformar a educação, para levar essa mensagem e oportunidade ao maior número de pessoas possível.A educação não sai nunca da nossa vida, por isso é muito importante levar essa inspiração também para o trabalho das pessoas”, comenta Raquel.

“Eu, Você e o Mundo Todo”

Esse é o título do episódio que será exibido na Mercur. Confira a sinopse: Qual o valor de se trabalhar em equipe? E o que levam para suas vidas estudantes, educadores e famílias que exercitam a capacidade de trabalhar em parceria, com a diferença? O trabalho em equipe ou a formação de agrupamentos heterogêneos é compreendida como uma inovadora e criativa ferramenta na resolução de conflitos e no alcance de resultados compartilhados. Ser capaz de liderar de forma colaborativa, assumindo diferentes papéis nos processos de aprendizagem, é um elemento fundamental para o exercício da cidadania.

SERVIÇO

Roda de Conversa sobre o Programa Escolas Transformadoras, com Raquel Franzim

Data: 04/12/18

Horário: 18h30 às 21h

Local: Laboratório de Inovação Social da Mercur - LAB

Inscrições: http://www.mercur.com.br/lab/atividade/200 

Quem é Raquel Franzim?

Educadora desde 1995, atuou como professora, coordenadora pedagógica e formadora de professores. Destes, 14 anos foram dedicados ao ensino público na rede municipal da cidade de São Paulo. Especializou-se em educação para bebês e crianças pequenas. Tem experiência de trabalho com adolescentes e jovens em medida sócio-educativa e qualificação profissional de pessoas em situação de vulnerabilidade social. Desde 2015, é assessora pedagógica do Instituto Alana e co-coordena o Programa Escolas Transformadoras do Brasil com a Ashoka.

O Programa Escolas Transformadoras

O programa Escolas Transformadoras é uma iniciativa da Ashoka, organização global que reúne empreendedores sociais de diversas partes do mundo. Fruto da crença de que todos podem ser transformadores da sociedade, o programa enxerga a escola como espaço privilegiado para proporcionar experiências capazes de formar sujeitos com senso de responsabilidade pelo mundo: crianças e jovens aptos a assumir papel ativo diante das mudanças necessárias, em diferentes realidades sociais e amparados por valores e ferramentas como a empatia, o trabalho em equipe, a criatividade e o protagonismo.

Teve início nos Estados Unidos, em 2009, e de lá para cá espalhou-se por 34 países. Hoje conta com uma rede formada por mais de 280 escolas, sendo 21 brasileiras. No Brasil, a iniciativa foi lançada em setembro de 2015 em uma correalização com o Instituto Alana, organização sem fins lucrativos que aposta em projetos que buscam a garantia de condições para a vivência plena da infância. Saiba mais: http://escolastransformadoras.com.br

 

Informações para a Imprensa:

Engaje Comunicação Inteligente

Fernanda Dreier, Gabriela Fritsch

(51) 3378.1136

mercur@engajecomunicacao.com

Galeria da notícia