Mercur lança Nova Muleta Canadense focada nas necessidades das pessoas - Mercur

Notícias

Mercur lança Nova Muleta Canadense focada nas necessidades das pessoas

Voltar
16/07/2020

Mercur lança Nova Muleta Canadense focada nas necessidades das pessoas

Produto aprimorado por meio da cocriação oferece mais conforto, estabilidade, autoestima e está disponível em cinco cores nas apresentações par e peça.

 

É comum que usuários de muletas, temporários ou permanentes, sintam desconfortos ou incômodos que prejudicam suas atividades diárias. Pensando em minimizar esses problemas, a Mercur decidiu redesenhar o produto, com foco nas melhorias que poderiam gerar para as pessoas, e assim lança a sua nova Muleta Canadense Fixa. Com desenho moderno e ergonômico, ela possibilita melhor distribuição do peso nos pontos de pressão, como apoio de mão e antebraço, e contém ponteira articulada com tecnologia que oferece uma passada mais natural e segura. Produzida 100% no Brasil e com 24% menos alumínio que a versão anterior, a empresa aposta na humanização do item oferecendo versões em cinco cores nas apresentações em par e peça. 

 

A nova Muleta Canadense Fixa busca proporcionar às pessoas autonomia a cada passo. #pracegover Mulher tira uma mochila do porta-malas com uma das mãos, com o outro braço ela se apoia na muleta.

 

O processo de cocriação da muleta iniciou no projeto COlabora, uma mobilização pela Tecnologia Assistiva que visou o desenvolvimento de muletas a partir de novas alternativas de design e matérias-primas com menor impacto humano e socioambiental, custo acessível e viabilidade de fabricação. Vários grupos participaram desta iniciativa e um dos projetos que se destacou foi do estúdio de design Cusco Studio, que trouxe contribuições importantes para o desenvolvimento da muleta. 

O produto foi aprimorado também a partir das experiências dos usuários e com inovações validadas pelo Instituto Brasileiro de Tecnologia (IBTeC) e pelo Laboratório de Pesquisa do Exercício (LAPEX) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Estas inovações e funcionalidades, trazem importantes benefícios a quem faz uso do produto de forma permanente ou temporária. 

“Foi muito importante ter participado desse processo, pois eu e os outros usuários pudemos apresentar questões que interferem diretamente na nossa qualidade de vida. Falamos sobre as dores que as muletas tradicionais causam nos punhos, a falta de um apoio correto, o peso excessivo, entre outros fatores” conta Andrea Schuster, 44 anos, que é usuária permanente do item e participou das oficinas de cocriação. Foi a partir dessas observações que o novo produto da Mercur conseguiu trazer inovações que representam importantes benefícios a seus usuários. 

 

  • O novo formato do encosto do antebraço evita que a Muleta caia quando escorada na parede e o encaixe para acoplar uma muleta na outra permite que um dos braços fique livre em situações nas quais isso se faz necessário.

  • O design da manopla diminui a pressão nas mãos, melhorando o conforto e reduzindo a probabilidade de formação de calos.

  • A textura do apoio de mão e antebraço foi suavizada para não machucar a pele.

  • O novo desenho da muleta facilita a distribuição do peso e dá as pessoas a sensação de ser mais leve.

  • A ponteira foi redesenhada e ganhou um sistema de articulação e base ampliada que permitem maior flexibilidade e tornam a passada mais natural e segura.

  • O novo modelo também aposta na humanização, oferecendo cinco opções de cores  para o apoio de mão e três para as ponteiras. Dessa forma, o item pode ser integrado ao visual do usuário de maneira mais harmônica.

  • O produto pode ser adquirido em par ou peça,  flexibilizando a aquisição de um único item quando necessário.

 

O vídeo abaixo mostra como essas melhorias podem fazer diferença no dia a dia das pessoas:

 

Andrea, que foi uma das pessoas a validar o produto após o seu redesenho, entende que as melhorias foram significativas. “Desde que comecei a utilizar a Nova Muleta Canadense Fixa da Mercur senti muitos benefícios, por exemplo, não tive mais dores nos punhos e, portanto, não precisei fazer mais fisioterapia. Além disso, sinto que meu antebraço fica melhor apoiado”, conta. Ela ressalta que o item tem impactado em sua qualidade de vida. “Faz diferença total eu ter mais apoio,  não sentir tanta dor e ela ser mais estável. Eu já caminho com certa dificuldade e preciso usar essa ferramenta todo o dia, portanto ela ser mais confortável é muito importante”, destaca. 

 

Andrea Schuster participou do processo de cocriação da nova muleta e foi convidada a ser uma das modelos das fotos para o lançamento do produto. #pracegover Mulher com uma das pernas amputadas segura uma xícara em uma das mãos e com o outro braço ela se apoia na muleta. A outra muleta está escorada na bancada da cozinha atrás dela.

 

“As muletas disponíveis atualmente tem um desenho muito tradicional. Neste novo modelo, buscamos traduzir as necessidades evidenciadas no processo de cocriação e  acreditamos que assim vamos gerar um impacto positivo na vida das pessoas através da experiência de uso desse produto”, afirma Dayani Rabuske explicando que o desenvolvimento do item começou com o Projeto COlabora, em 2015. Nele, estudantes e profissionais de design, fisioterapia, usuários de muleta  e pessoas interessadas na temática, toparam o desafio de cocriar uma muleta, a partir das reais necessidades das pessoas com mobilidade reduzida, considerando a redução dos impactos humanos e socioambientais, a diminuição do uso do alumínio, o custo acessível e a viabilidade de fabricação nacional com ou sem escala.

Após um período de estudos e testes, agora a Nova Muleta Canadense Fixa Mercur chega ao mercado brasileiro oferecendo todos esses diferenciais de conforto e usabilidade. Além disso, sua produção visa diminuir os impactos ambientais por meio de:

  • Redução de 24% no uso de alumínio, matéria prima não renovável, sem comprometer a resistência do novo produto;

  • Utilização de 70% de matéria-prima renovável em acessórios, como as ponteiras.

  • Desenvolvimento de processos mais limpos com máquinas mais automatizadas que geram um menor índice de retalho, refugo e sobras;

  • Priorização de fornecedores de serviços e matérias-primas nacionais e locais visando a redução da pegada de carbono.

 

As cores da muleta também fazem a diferença na vida dos usuários, oferecendo a possibilidade do item ser integrado no visual de maneira discreta, levando em conta seus gostos e personalidade. “Eu adorei todas as opções, é muito bom poder deixar o preto para trás. Assim, além de ser bom e leve, o produto é bonito, característica muito importante para a vaidade”, afirma Andrea. 

 

As cores da nova muleta foram pensadas para se integrar mais facilmente ao estilo e gostos pessoas dos usuários. #pracegover Homem está apoiado com um dos braços na muleta e com a outra mão rega as plantas.

 

A nova Muleta Canadense Fixa pode ser adquirida em par ou em peça única diretamente na loja virtual da Mercur ou por meio de revendedores espalhados por todo o Brasil. 

 

Produzida no Brasil

Buscando reduzir seus impactos ambientais e investir mais energia e recursos nas comunidades nas quais atua, a fabricação e desenvolvimento da nova Muleta Canadense Fixa da Mercur é 100% nacional.  Desde 2008, ano de sua primeira virada de chave, a empresa  estabeleceu a valorização da vida como um de seus princípios, o que inclui reduzir seus impactos ambientais e ter uma preocupação maior com a região na qual está inserida.

 

O processo de produção é cuidadosamente acompanhado pelos colaboradores. #pracegover Colaboradora da Mercur segura uma muleta em suas mãos, encaixando a ponteira articulada no produto.

 

O processo de nacionalização da produção da Muleta Canadense Fixa é fruto desse entendimento e, para sua concretização, foi necessária muita pesquisa visando a incorporação da tecnologia de beneficiamento do alumínio na empresa e também investimentos em novos maquinários.  A organização também buscou adotar práticas visando o melhor aproveitamento dos materiais e soluções que gerassem o menor número possível de resíduos ou danos ambientais.

 “Buscamos conhecimento sobre tratamentos térmicos e proteções superficiais para os tubos de alumínio considerando o aspecto ambiental com a menor emissão e geração de resíduos”, afirma Dayani Rabuske, especialista em projetos da Mercur. Ela ressalta que os equipamentos adquiridos para o beneficiamento dos tubos de alumínio – corte rebarbação e estampo – também levaram em conta, além de versatilidade e velocidade, o menor desperdício de matéria prima. 

Newton Cassanta, anfitrião do projeto, aponta que a produção da Nova Muleta na fábrica da Mercur é apenas o primeiro passo. “Nossa intenção é que nos próximos anos possamos nacionalizar toda a nossa linha apoio. Assim, fortalecendo ainda mais a economia local e nacional”, destaca. 

 

Newton é anfitrião do projeto de nacionalização da muleta. #pracegover Colaborador em frente a uma linha de produção de braços cruzados e sorrindo.

 

Prevenção

A Mercur também explica que a fabricação da Nova Muleta Canadense Fixa tem respeitado todas as orientações dos órgãos de saúde e decretos federais, estaduais e municipais que visam evitar a propagação do novo coronavírus.  Todos os colaboradores da organização têm seguido um procedimento rígido de proteção que inclui o uso de máscaras, higienização frequente dos ambientes, disponibilização de álcool gel, além da organização das pessoas em turnos diferentes para evitar aglomerações. Mais informações sobre as medidas de prevenção da organização podem ser acessadas aqui.

 

Informações para a Imprensa:

Engaje Comunicação Inteligente

Matheus Pandolfo

(51) 3378.1136

mercur@engajecomunicacao.com

Acompanhe as notícias do universo Mercur

Cadastre seu e-mail ao lado e receba
todas as notícias e conteúdo exclusivo.

Created by Avanti